Vinho português: Os segredos de um dos maiores produtores de vinhos

Vinho português: Os segredos de um dos maiores produtores de vinhos

Quando o assunto é vinho português logo o que se vem à cabeça é história, tradição e qualidade da bebida. Não à toa que Portugal está entre os países do Velho Mundo mais importantes em termos de produção de uvas e vinhos. 

Trata-se de um território com vasta seleção de uvas nativas que são as responsáveis pela forte personalidade dos rótulos. Para expandir seus conhecimentos, mostraremos algumas particularidades dos vinhos de Portugal, e os principais tipos de uvas. Embarque nessa viagem e boa leitura! 

Particularidades dos vinhedos de Portugal 

Apesar de estar na lista dos menores países da Europa, Portugal é muito grande e importante quando o assunto é vinho, já que é considerado como um dos maiores e mais antigos produtores de uvas vitis viníferas. 

No entanto, para falarmos dos melhores vinhos portugueses, precisamos voltar um pouco no tempo. O mercado de vinhos e uvas do país se deu em tempos anteriores à Era Cristã, sendo que os primeiros registros foram de que os Romanos, lá no século II a.C, desenvolveram os primeiros vinhedos de maneira organizada, na Lusitânia, mais precisamente na região da Foz do Rio Tejo. 

Para que você tenha ideia da importância do vinho português, em 1703 Portugal e Inglaterra assinaram o Tratado de Methwen, que facilitava a entrada dos vinhos em regime especial, em troca de tecidos ingleses. 

Outra curiosidade é que os vinhos da região do Rio Douro são milenares, sendo que o comércio dessas bebidas começou por volta de 1680 com o estímulo dos ingleses, que eram grandes apaixonados pelos vinhos portugueses. 

Já no Brasil, o primeiro rótulo que chegou até aqui foi produzido na região do Alentejo, mas com o desembarque da família portuguesa, em 1808, diversos vinhos foram comercializados no nosso território.

 

Vinhedos de Portugal: história e qualidade

 As regiões vinícolas de Portugal são tão importantes que há territórios protegidos pela Unesco, como Patrimônio Mundial da Humanidade. Um exemplo é a região do Douro, que produz rótulos renomados há mais de dois mil anos. Território popular pela produção e comercialização de dois vinhos distintos e mundialmente conhecidos: o vinho do Porto – famoso aperitivo – e o vinho do Douro. 

Importante diferenciar DOC Douro da Denominação de Origem Porto, que se aplica somente aos vinhos licorosos. Das vinícolas do Douro DOC destacam-se vinhos tintos e brancos, das melhores seleções de Portugal. A denominação Regional Duriense também se aplica a vinhos produzidos nessa região. Diferentes tipos de castas dão origem aos vinhos do Douro, entre elas as famosas Gouveio e Malvasia Fina (brancos) e Touriga e Aragonez (tintos). 

Outras regiões em destaque são o Alentejo, que está de pé desde o Império Romano e tem mais de 22 mil hectares somente de vinícolas, e o Dão, que é um território nobre de Portugal, que não por acaso é conhecido como Borgonha Portuguesa. As vinícolas do Dão ficam ao centro de Portugal, sendo conhecidas como uma das primeiras regiões demarcadas de vinhos não licorosos na Península Ibérica (sudoeste da Europa).

 

Tipos de uvas de Portugal

 Portugal é dono de uma lista com mais de 250 uvas nativas, sendo que qualquer apaixonado por esse universo ficará encantado com os aromas e a coloração de cada espécie. 

As principais e mais famosas são: 

  • Touriga Nacional: cultivada na região do Dão, a Touriga é considerada como a rainha das uvas, sendo ela que dá origem ao famoso vinho do Porto, com sabor frutado e tanino;
  • Tinta Roriz: por se adaptar facilmente em diferentes climas, a Roriz é muito encontrada nas regiões do Douro, Dão e Alentejo, sendo encontrada nas principais vinícolas portuguesas.
  • Bega: também chamada de Tinta da Bairrada, é cultivada na região da Bairrada. Origina vinhos intensos, com cores e aromas bem concentrados;
  • Encruzado: predominante em Dão, dá origem a vinhos brancos complexos e altamente elegantes;
  • Fernão Pires: conhecida como Maria Gomes, essa é uma das uvas brancas de maior prestígio e cultivo em Portugal. Seus vinhos são levemente ácidos, com aroma floral e frutado e de sabor bastante complexo.

 

Melhores vinhos portugueses: muito além do Porto 

Apesar de existirem inúmeros rótulos famosos e premiados, alguns vinhos de Portugal se destacam pela tradição e excelência. A seguir, mostraremos quais são aqueles que não podem faltar na sua lista. 

 

Vinhos portugueses Alentejo 

Alentejo é uma região muito importante de vinícolas no território português. Considerado um dos mais ricos terroirs de Portugal, apresenta ampla diversidade de solos e climas, produzindo assim uma infinidade de estilos de vinhos, dos mais clássicos aos de perfil internacional. 

Os vinhos alentejanos são, em grande parte, tintos de coloração bem escura. A qualidade dos vinhos desta região é notada desde os rótulos mais simples, sempre oferecendo um grande leque de aromas e sabores muito elegantes. As principais castas produzidas na região são Trincadeira, Aragonês e Alicante Bouchet.

 

Vinhos portugueses do Dão 

Por ser a segunda cidade mais antiga a ter uma vinícola, Dão reúne diversos produtores que prezam pela tradição. Grande parte dos rótulos produzidos são originários da uva Encruzado, que produz vinhos brancos, e a Touriga, considerada a mais predominante desse território para vinhos tintos. 

A marca principal de qualquer vinho Dão é, sem dúvidas, a concentração. Outras características são o aroma e sabor frutado, que ficam mais frescos nos rótulos jovens. Os tintos são muito intensos, potentes e encorpados, principalmente quando estão envelhecidos. 

Vinhos portugueses Douro

Predominantemente produzidos por meio das uvas Tinta Barroca, Tinta Cão, Tinta Roriz e Touriga, os vinhos Douro são bem encorpados, concentrados, potentes e cheios de personalidade.  Essa região não produz somente os vinhos Douro, mas também os do Porto (licorosos). 

Os tintos são aveludados, de sabor e aroma frutados e notas florais, sendo esteva, a principal. Com coloração escura e potente, a degustação se torna ainda mais concentrada na medida do envelhecimento do vinho. Já os brancos, são incrivelmente frescos, leves, com boa acidez e de paladar bem fino.

 

Como escolher vinhos portugueses?

 Assim como em outras ocasiões com outros tipos de vinhos, a primeira dica para não errar na escolha dos vinhos portugueses é pensar no momento e no acompanhamento da sua degustação. Pense sempre no equilíbrio entre esses dois aspectos. 

Por exemplo, os vinhos do Porto, que são mais potentes, concentrados e fortificados, são comumente acompanhados por sobremesas ou queijos azuis, principalmente em tempos mais frios. Em relação às entradas e pratos principais, as carnes vermelhas combinam perfeitamente com os tintos encorpados. 

Já os vinhos brancos, como os de origem do Douro que são frescos, finos e bem leves, são mais indicados para temperaturas mais elevadas e comidas mais leves, para que não cause uma confusão no paladar. Aperitivos de peixes e massas leves são ótimas harmonizações. 

Os vinhos portugueses carregam milhares de anos de história, de tradição passada de geração para geração e muita qualidade. 

Na Via Vini você encontra os melhores vinhos portugueses. Confira!