Tipos de Solos e as Vinhas

TIPOS DE SOLOS E AS VINHAS

Quando falamos em vinho, de imediato vem à mente tonéis, barricas, várias prateleiras com garrafas entre outros elementos que compõem esse cenário característico, porém até chegar neste estágio, o vinho percorre um caminho com diversas etapas.

Antes de tudo, é necessário escolher onde se deve plantar a vinha. Para a produção de um bom vinho é imprescindível que se tenha a uva perfeita e sem dúvida o solo ideal, para que a sua plantação seja estabelecida. Por exemplo, quando lemos em um artigo de vinhos o termo “terroir”, está diretamente ligado ao solo e às características climáticas do local onde a vinha está plantada.

O solo é a camada superficial da crosta terrestre e sua composição é muito importante, pois é composto por sais minerais e material orgânico, se transformando em nutrientes para a vegetação.

Nas vinhas, o solo acaba desempenhando um papel de importância secundária – ainda que de extrema importância, pois através dele há a absorção de luz e calor do sol, fazendo a transferência dessa energia para a planta quando a mesma estiver à sombra. Alguns minerais são de suma importância para a saúde das vinhas. São eles: cálcio, ferro, magnésio, potássio, boro, manganês e também o nitrogênio. Cada um desses elementos dá ao solo a condição ou composição ideal para o cultivo de cada tipo de uva.

Porém, é importante esclarecer que o solo em si não produz nada sozinho, temos pelo menos três elementos que juntos colaboram para uma boa vinha:

- O solo

- O clima

- O trabalho braçal

Entre os principais tipos de solo cultivados com vinhas, estão: aluvial, calcário, granítico, arenoso, vulcânico, xistoso, argiloso, pedregoso, cascalho, sílex e terra roxa. Ou seja, cada solo impregna ao vinho cultivado e produzido, uma característica específica. Em geral, as camadas mais superficiais são compostas por materiais orgânicos, sendo as camadas mais profundas ricas em compostos minerais. Vale destacar os tipos de solos mais conhecidos:

Solo Argilo-Calcário:

Este solo tem como potencial, a capacidade de reter a água e criar um ambiente fresco que se junta com as propriedades de drenagem do calcário. Um solo argilo-calcário está repleto de quartzo, zircão e de nutrientes gerados pelos fosseis de moluscos de eras passadas. Este solo pode ser encontrado na região de Borgonha, Champagne e Vale de Loire na França. Está na raiz deste solo a explicação da qualidade, limpeza e singularidade dos bons vinhos destas regiões.

Solo Arenoso:

Naturalmente, possui uma excelente drenagem, boa retenção de calor e um solo que apresenta grande resistência às pragas. Este solo produz um vinho concentrado e é encontrado em Mendoza (Argentina) e Piemonte (Itália).

Solo Calcário:

Este solo, em diferença aos outros, é pobre em matéria orgânica. Porém, quando o teor de carbonato de cálcio é elevado (a partir de 70%), traz um aumento de acidez nas uvas produzidas, dando ao vinho frescor e refinamento. Estes solos são encontrados em áreas como a Califórnia e também na França.

Solo Rochoso:

Este solo, em geral, tem uma boa drenagem e a sua superfície retém o calor do sol. Sua divisão em camadas permite que a umidade infiltre no solo, e também oferece espaço para que a planta infiltre suas raízes em busca de nutrientes. Como resultado, os vinhos produzidos nestes solos são robustos, encorpados e fortes. As regiões que apresentam estes solos são: Douro (Portugal), França e Alemanha.

É importante ressaltar que além das características químicas e física do solo, o clima e as oscilações da natureza também são fatores fundamentais na formação das vinhas e de suas uvas. Claro, considerando sempre que a intervenção humana e a tecnologia ganham um importante papel na produção de vinhos de excelente qualidade.