Saiba Tudo Sobre Sistemas de Pontuação de Vinhos

Tudo o que Você Precisa Saber sobre Sistemas de Pontuação de Vinhos

O Sistema de Avaliação de 100 Pontos tornou-se uma referência no universo dos vinhos.

Ele permite avaliar não apenas os principais aspectos do vinho, mas também a qualidade da produção como um todo.

No entanto, apesar da excelente procedência, você precisa conhecer alguns detalhes antes de se deixar levar pelos números.

Neste post vamos conhecer a história do sistema de pontuação de vinhos, como ele funciona, quais são os principais críticos e publicações que se baseiam nele, bem como suas deficiências e as soluções para as mesmas. Confira!

 

Como o Sistema de Pontuação de Vinhos Começou

A atribuição de notas de degustação e outras formas de avaliação existem desde os primórdios da história do vinho, mas o uso do sistema numérico de avaliação é um recurso mais recente.

Durante o século XX, enquanto o interesse americano em vinho ainda estava em fase de crescimento, consumidores eram bombardeados com uma grande variedade de vinhos de todas as partes do mundo.

Esse excesso de opções acabou criando um nicho de mercado para "críticos do vinho" que conseguiram desenvolver um serviço de avaliação e recomendação dos rótulos. O objetivo era facilitar o processo de escolha e compra para os consumidores menos informados.

Pensando nisso, eles seguiram um padrão semelhante ao utilizado em revistas de avaliação de produtos como a Consumer Reports e Which?, com resenhas curtas e simples que pudessem ser lidas e interpretadas rapidamente até pelos consumidores com menos conhecimento sobre o assunto.

A popularização do sistema numérico de avaliação é vinculada ao crítico americano Robert Parker, que patenteou seu método na década de 1970.

No sistema de Parker, os vinhos eram avaliados numa escala de 50 a 100 que poderia ser sutilmente correlacionada ao sistema americano de notas (de A a F).

Os vinhos eram considerados “acima da média” ou “bons” se conseguissem uma nota de, pelo menos, 80 pontos.

Os leitores das revistas de avaliação de vinhos, como a do próprio Parker (The Wine Advocate), Wine Spectator, The Wine Enthusiast e outras, podiam ver rapidamente as avaliações de centenas de vinhos, totalmente "resumidos" em avaliações numéricas.

Desta forma, os consumidores mais exigentes poderiam se concentrar apenas na compra de vinhos com boa pontuação, tendo assim a "garantia" de que se tratava de vinhos com boa qualidade.

Em paralelo a isso, lojas e vendedores viram nesse sistema uma ferramenta de marketing praticamente pronta.

Por meio dela, eles não precisariam nem pesquisar ou provar o vinho antes de colocá-lo à venda, pois a qualidade estaria "comprovada".

A popularidade desse método se tornou uma vantagem para a indústria de vinhos.

Os rótulos classificados como “excepcionais” tinham a garantia de boas vendas no mercado.

Vinhos que eram avaliados como “extraordinários” ou “clássicos” começaram a adquirir fiéis seguidores que, junto à produção limitada, contribuíram para um aumento astronômico em seus preços.

Em meio a isso, surgiu até um segmento de vinhos de investimento que visava capitalizar em cima da especulação e do eventual aumento no preço dos rótulos de melhor pontuação.

A influência do sistema de avaliação de vinhos foi determinante para o crescimento dos mercados da Ásia, Rússia e América do Sul na virada do século XX.

 

O Sistema de Pontuação de Vinhos Explicado

A "pontuação do vinho" é uma nota designada por um ou mais críticos a um determinado vinho, como resumo da avaliação daquele rótulo.

É, portanto, uma qualificação subjetiva. Na maioria dos casos, a nota é dada por um único crítico.

Porém, em alguns casos, a nota é uma média das opiniões de vários críticos degustando o mesmo vinho, ao mesmo tempo.

O sistema de avaliação de vinhos não necessariamente indica o quão delicioso um vinho é.

Ao invés disso, a pontuação de vinhos é baseada na qualidade da produção e tipicidade.

Essa tipicidade, de um modo bem superficial, pode ser entendida como a observação dos traços de um vinho que consigam retratar o estilo da região onde ele é produzido.

 

O Sistema de Avaliação de 100 Pontos

Como citamos anteriormente, o sistema avalia entre 50 e 100 pontos. No geral, as pontuações apresentam os seguintes significados:

• 50 a 59: vinho é falho e impróprio para consumo.

• 60 a 69: vinho é falho e não recomendado, mas é possível beber.

• 70 a 79: vinho é falho e tem gosto “médio”.

• 80 a 84: vinho é “acima da média” a “bom”.

• 85 a 89: vinho é “bom” a “muito bom”.

• 90 a 94: vinho é “superior” a “excepcional”.

• 95 a 100: vinho ícone ou “clássico”.

Para alguns críticos, no entanto, vinhos com notas inferiores a 80 pontos sequer têm suas análises divulgadas.

 

Como as Principais Publicações e Críticos Fazem Suas Avaliações

Wine Spectator

Cada região vinícola é analisada exclusivamente por um editor especialista naquela região e em suas características particulares. Outros editores podem oferecer opiniões, mas a avaliação final é do editor primário de cada região. Todas as degustações são conduzidas às cegas. Os provadores são informados apenas sobre o tipo do vinho (variedade ou região) e o vintage. Vinhos falhos ou que pontuam muito alto são degustados novamente. Algumas vezes, vinhos europeus são degustados nos próprios distritos em que são produzidos, onde exemplos mais frescos e perfeitamente guardados estão prontamente disponíveis. As avaliações são baseadas no quão bom o vinho será quando chegar ao seu pico, independente de quando isso vai ser. A análise também indica se a avaliação foi feita em uma amostra de barril ou no vinho já pronto para comercialização.

The Wine Advocate

A revista é publicada por Robert Parker, embora ele não seja o único crítico da publicação. Muitos dos vinhos avaliados são degustados por membros de sua equipe editorial. Portanto, ao ver a sigla RP ao lado de um vinho, saiba que isso significa que o vinho foi avaliado pela revista e não necessariamente pelo próprio Robert Parker. As degustações são conduzidas em grupos e em condições single-blind. Isso significa que os mesmos tipos de vinhos são provados um contra o outro e os nomes dos produtores não são revelados, para que tanto o preço quanto a reputação do produtor não exerçam qualquer influência na avaliação. Quando um vinho é degustado várias vezes, a pontuação representa uma média das notas dadas pelo grupo. Robert Parker encoraja os leitores a analisarem as pontuações em conjunto com as notas de texto, ao invés de levarem em conta apenas a pontuação.

The Wine Enthusiast

A revista avalia os vinhos com base nas degustações de editores e outros parceiros qualificados, individualmente ou em grupos. As degustações são feitas às cegas ou de acordo com outras práticas aceitas pela indústria. O preço não é levado em conta na atribuição de notas aos vinhos. Nesta editoria, somente os vinhos que pontuam acima de 80 são publicados. Em alguns casos específicos, os vinhos que são considerados falhos ou fora do habitual são avaliados novamente.

Revista Wine & Spirits

Todas as avaliações de vinhos são feitas sob condições controladas e também as cegas, sem exceções. O processo acontece em dois passos: primeiro, todos os vinhos são degustados em painéis compostos por vendedores, sommeliers, produtores de vinhos e outros profissionais do mercado, todos convidados pela revista. Os vinhos recomendados pelos painéis são apresentados aos críticos da revista, que pontuam e escrevem suas avaliações. O parecer dos críticos é baseado em quão bem um vinho se desempenha na sua categoria indicada (seja variedade ou região). O objetivo da revista é que cada crítico providencie um ponto de vista consistente, a partir do qual o leitor possa mensurar seu próprio gosto ao longo do tempo.

JamesSuckling.com

O site é comandado pelo próprio James Suckling, redator de vinho, crítico e antigo editor europeu da revista Wine Spectator. Seu novo empreendimento apresenta pontuações e avaliações dos vinhos, com a inclusão de vídeos apenas do que ele considera “os melhores vinhos do mundo”. Nesta lista estão apenas os vinhos que ele avalia com 90 pontos ou mais. Os vinhos são degustados as cegas e também publicamente, sendo avaliados tanto pelo prazer de bebê-los naquele momento, quanto também pelo potencial de envelhecimento.

Luca Maroni

O método de avaliação deste especialista é um pouco diferente dos demais. Primeiramente, a pontuação máxima é de 99 pontos. Para Luca Maroni uma avaliação de 100 pontos é impossível, pois seria o vinho perfeito e sempre existe a possibilidade de degustar ou produzir um vinho melhor. De acordo com o Maroni, a qualidade do vinho reside na agradabilidade do seu gosto, existindo três parâmetros que afetam essa qualidade: a consistência, o equilíbrio e a integridade do gosto e do aroma do vinho. O Indicador de Agradabilidade (Pleasantness Index – PI), criado pelo especialista, é obtido ao dar uma nota de 1 a 33 para cada um dos parâmetros que decidem a qualidade. A consistência é o volume expresso do vinho, decido pela sua riqueza como um extrato seco. É o aspecto quantitativo da qualidade, da persistência e do potencial para envelhecimento do vinho. O equilíbrio é a harmonia dos componentes, das proporções entre as substâncias que compõem o vinho e que o fazem ser tão macio quanto é ácido e amargo no paladar. E, por último, a integridade é a falta de defeitos do processo de produção do vinho ou da oxidação na degustação do vinho. Representa a qualidade, a pureza, e a fragrância dos componentes, assim como seu calibre técnico e potencial para envelhecer.

Guia Peñín

O processo de degustação desta publicação espanhola pode durar entre um e três minutos. Os primeiros golpes no nariz e na boca são o que influenciam a avaliação do provador. Para os profissionais do Guia Peñín, é inútil dedicar mais tempo a um mesmo vinho, já que pode acontecer de o provador acostumar com os aromas do vinho ao continuar a cheirá-los, e não notará os destaques. Como o próprio guia explica, este efeito pode ser visto no nosso dia a dia. Nós não somos capazes de registrar as nuances olfativas das nossas casas ou roupas. Todos nós tempo um aroma individual, porém viver com ele faz com que ficamos imunes, então não sabemos exatamente com nós mesmos cheiramos. Após desgustar um vinho, o provador transforma todas suas impressões visuais, aromáticas e de gosto e os avalia dentro do sistema americano de avaliação, ou seja, desgina ao vinho uma pontuação de 50 a 100.

 

Os Problemas dos Sistemas de Avaliação dos Vinhos e As Suas Soluções

Os sistemas de avaliação já possuem grande aceitação no mercado e representam uma excelente referência para o consumidor.

No entanto, alguns pontos devem ser considerados antes de acreditar totalmente no que os números representam:

 

1. Os críticos têm opiniões diferentes

Críticos experientes geralmente conseguem concordar na avaliação da qualidade de produção de um vinho.

No entanto, as divergências começam a surgir entre os vinhos que figuram na faixa de 90 pontos para cima.

Existem, basicamente, duas linhas de pensamento quando o assunto é avaliar vinhos acima de 90 pontos:

o Os críticos que preferem vinhos que são complexos e audaciosos;

o Os críticos que preferem vinhos que são complexos e sutis.

Solução: Avalie a fonte

Caso você decida comprar vinhos baseando-se apenas nas pontuações, não deixe de pesquisar sobre a fonte.

Alguns críticos são tipicamente conhecidos por darem notas menores aos vinhos em relação a outros críticos.

É bom saber disso, pois um vinho na faixa de 87 a 88 poderia facilmente ter uma nota maior (ou menor) na avaliação de outro crítico.

 

2. Vinhos de diferentes regiões, mesmo que tenham a mesma pontuação, podem apresentar características muito distintas

Se você ama um Sauvignon Blanc da Napa, mas compra um Sauvignon Blanc francês com a mesma pontuação, isso não garante que você irá gostar de ambos da mesma forma.

Lembre-se que cada região apresenta características muito particulares e que exercem influência nítida e direta no resultado final.

Solução: Use as pontuações de vinhos somente para as regiões que você conhece.

A melhor maneira de comprar vinhos semelhantes aos que você gosta é identificar as características que mais te atraem, e o porquê disso.

Avaliações e pontuações podem te ajudar a encontrar vinhos que irão te agradar em regiões que você ainda não explorou.

No entanto, para isso você precisa fazer um esforço para conseguir decifrar o seu estilo pessoal para vinhos.

Comece aprendendo sobre as regiões que você gosta, produtores... vá além das notas!

 

3. Existem mais vinhos sem pontuação do que com pontuação

Alguns críticos apresentam até 700 avaliações no espaço de alguns dias.

A revista “Wine Spectator” avalia cerca de 16.000 vinhos por ano.

Embora esses números sejam impressionantes, eles representam apenas uma fração da quantidade de vinhos únicos que são lançados todos os anos.

Solução: Não se preocupe se um vinho não é pontuado.

Se você está tentando decidir entre dois vinhos semelhantes, mas um é pontuado e outro não, isso não significa que o pontuado seja necessariamente melhor.

 

4. Notas baixas nunca são publicadas

Quando foi a última vez que você viu um vinho à venda que orgulhosamente anunciava 79 pontos?

Embora existam pontuações baixas, você nunca irá vê-las. Não é fácil encontrar essa informação livremente.

O motivo para isso é porque vendedores estão dispostos a pagar pelo acesso as notas para conseguirem classificar melhores classificações para suas garrafas.

Solução: Use recursos alternativos para achar opiniões.

Uma alternativa é verificar os sites de avaliação crowd sourced, ou seja, com notas dadas por pessoas "comuns", como o Cellar Tracker, Wine-Searcher ou até mesmo o App Vivino.

 

5. O sistema de avaliação de cada site é um pouco diferente.

Se você observar os padrões dos grandes sites de avaliação de vinhos, verá que os números não são padronizados.

Cada crítico determina sua escala de pontuação de formas distintas.

Um exemplo pode ser visto nas duas avaliações abaixo, feitas para um mesmo vinho:

o Wine & Spirits: 86 a 89 – altamente recomendado.

o Wine Enthusiast: 85 a 89 – muito bom. Pode oferecer ótimo valor se o preço for bom.

Solução: escolha o seu site preferido e acompanhe o sistema de avaliação dele.

A melhor alternativa aqui é acompanhar o sistema do seu site preferido. Com o tempo, é bem provável que você conheça melhor os avaliadores, entenda quais vinhos - e quais pontuações - se adequam melhor ao seu gosto.

Assim, escolher a garrafa certa vai se tornar uma tarefa consideravelmente mais simples, mas sem perder qualidade.

 

6. As avaliações moldam o crescimento das regiões.

Se você é um produtor de vinhos e o seu vizinho consegue uma avaliação de 100 pontos em um rótulo, você precisa tomar alguma providência para fazer o seu negócio crescer também.

Por mais que não seja uma coisa ruim, com o tempo isso acaba levando a uma homogeneidade na região, o que não é nada bom.

Regiões agricultoras homogêneas são altamente suscetíveis a problemas como doenças, ataques de pragas, secas ou até mesmo queda na economia local, quando as preferências do mercado mudam.

Solução: "Beba fora da caixa"! Nunca deixe de explorar novos vinhos.

Tente pesquisar por vinhos de acordo com suas preferências, ou harmonizações possíveis, dentre outros. Boas opções nunca irão faltar, e o mercado agradece!

 

Conclusão

Os sistemas de pontuação de vinhos são excelentes fontes de informação para te ajudar na escolha da garrafa ideal.

Mas como você já percebeu, existem diferentes sistemas, com diferentes editores avaliando milhares de vinhos!

Nossa dica é escolher o sistema que você mais se adequa e segui-lo sempre que precisar procurar por uma nova garrafa.

Aproveite para se inscrever no nosso newsletter e receber ofertas, dicas e promoções direto na sua caixa de e-mail. Aproveite e continue acompanhando nosso blog de vinhos!

 

Sobre a Via Vini

Estabelecida na cidade de São Paulo, atuando há mais de 12 anos no mercado de vinhos importados, a Via Vini conta com uma equi-pe de profissionais altamente qualificada com experiência adquiri-da nas maiores importadoras de vinhos do país.

Com um portfólio dos mais variados a Via Vini preza pela procedência e qualidade na seleção dos seus vinhos, armazenando-os em ambiente climatizado e conferindo respeito e cuidado durante todo processo de logística. Para você que gosta de comprar vinho online, saiba que nosso compromisso é a total satisfação de nossos clientes.

Continue acompanhando o blog para aprender cada vez mais sobre vinhos e consumir todo o conteúdo que criamos especialmente para você!