5 dicas práticas para guardar vinho em casa e conservar seu frescor

5 dicas práticas para guardar vinho em casa e conservar seu frescor

Você já vivenciou essa situação, parece familiar?

Após comprar um vinho muito desejado para consumir em momentos exclusivos com a família e amigos, logo surge a dúvida que não desgruda da cabeça: como guardar o vinho em casa e conservar suas qualidades?

Justamente para você não se preocupar mais com o armazenamento correto do vinho preparamos essas 5 dicas práticas, que vão te ajudar a preservar as qualidades da sua bebida favorita.

Vale a pena reforçar que os principais vilões do vinho são o calor, a luz e o oxigênio.

Portanto, seja num cantinho especial na sua casa, numa adega ou na geladeira, o vinho precisa ser protegido dessas interferências naturais, combinado? Então vamos às dicas!

 

Vinho tem prazo de validade?

Provavelmente você já ouviu essa afirmação popular: “vinho bom é vinho velho”. Mas a verdade é que poucos vinhos foram produzidos para serem guardados por muitos anos, ou até mesmo por décadas.

Neste caso, a rara exceção fica por conta dos chamados vinhos de guarda, que pertencem a uma classe muito específica de vinhos produzidos para serem degustados de 10 a 20 anos.  Mas para o consumo do dia a dia é preciso desmistificar algumas coisas, para você entender definitivamente as maneiras mais adequadas para guardar vinho em casa.

Sabe-se que, em geral, vinhos brancos e rosés são os menos resistentes à ação do tempo. Por isso, em média, a grande maioria não passa de três anos de vida útil – esse prazo serve também para bebidas produzidas a partir de uvas jovens. Já alguns tintos costumam guardar seus aromas e frescores por mais tempo, até 10 anos.

Antes de guardar seu vinho favorito observe as propriedades – alguns fabricantes registram orientações no rótulo –, para saber como ele está agora e como poderá ser degustado no futuro.

 

Temperatura ideal para guardar vinho

Na maioria dos casos os vinhos precisam de ambientes com temperatura fresca. Estamos falando de algo em torno de 12 a 14ºC, podendo chegar a 24ºC, embora alguns tipos de vinhos tenham condições específicas.

Mas não se preocupe muito com isso se você for consumir a garrafa em dias, semanas ou alguns meses. Esse cuidado vale mais para situações de armazenamento de vinhos em adegas climatizadas, por exemplo, principalmente para preservar os vinhos de guarda.

O que você precisa se preocupar é com ambientes com temperaturas acima da casa de 25ºC, porque essa temperatura pode acelerar o envelhecimento dos vinhos. Além disso, é importante mantê-los em locais frescos com temperaturas equilibradas e constantes, já que os vinhos são sensíveis a variações térmicas extremas.

 

Guardar vinho de pé ou deitado?

Um conceito básico entre os enófilos é que vinhos vedados com rolhas precisam ser guardados na horizontal com o objetivo de manter o líquido em contato com o vedante, deixando a rolha sempre úmida para se expandir e evitar a entrada de ar na garrafa.

Isso se aplica especialmente aos chamados vinhos de guarda, para evitar reações químicas desfavoráveis ao envelhecimento da bebida. No entanto, atualmente são poucos os vinhos dessa categoria produzidos na vinha para serem armazenados por longos anos. A maioria das garrafas é comercializada para consumo em poucos anos.

Estudos recentes avaliaram a entrada de oxigênio dentro das garrafas em função da posição de armazenamento (horizontal e vertical). Por exemplo, pesquisadores australianos estudaram, durante cinco anos, a entrada de ar nas garrafas guardadas deitadas e em pé.

Constataram que a diferença da concentração de oxigênio nesses dois casos chega a ser é insignificante para afetar a bebida. Assim, para vinhos de consumo em poucos anos, não há problema se você armazená-los na vertical.

 

Melhor lugar para guardar os vinhos em casa

Você aprendeu que o calor, a luz e o oxigênio são os principais vilões da conservação do vinho, lembra?

Seja na geladeira, numa adega ou qualquer cantinho da sua casa, lembre-se de levar isso em consideração na hora de guardar seus rótulos.  Importante destacar que as adegas, na maioria dos casos, são mais recomendadas e funcionais para quem deseja investir em vinhos de guarda.

Antes de tudo defina um lugar confortável para armazenar suas garrafas de vinho que seja protegido da luz solar e iluminações artificiais. Os raios de luz podem prejudicar o frescor da bebida.

Evite também ambientes com baixa umidade, porque podem provocar o ressecamento das rolhas e, consequentemente, aumentar a entrada de oxigênio na garrafa, o que pode prejudicar a qualidade da bebida.

Vale a pena também verificar se o local é firme para acondicionar as garrafas. Deve-se preferir locais com estabilidade – livres de trepidações – para evitar balanços e vibrações, que também afetam o sabor e aroma do vinho.

 

Desarrolhou? E agora, o que fazer?

  • Deve-se evitar a utilização da mesma rolha para fechar a garrafa novamente, pois uma vez em contato com outros objetos a cortiça pode sofrer contaminações. Uma alternativa são os vedantes de metal.
  • Remova impurezas da parte externa com um pano limpo e umedecido com álcool.
  • Lembra que é necessário evitar trepidações? Então se usar a geladeira para guardar o vinho, evite colocar a garrafa na porta.

 

O que são vinhos de guarda?

Trata-se de rótulos elaborados e produzidos especificamente com a finalidade de receberem novos aromas e sabores para evoluir com o passar de muito tempo, até duas décadas.

Mas são poucos vinhos de guarda que trazem consigo essa classificação especial. Estamos falando de alguns Bordeaux e Borgonha (França); Barolo, Barbaresco e Brunello (Itália); Vinho do Porto e Madeira (Portugal); Gran Reservas de Rioja e Ribera (Espanha), entre outras “preciosidades”.

Para suportar o tempo de guarda é necessário que o vinho seja rico em algumas características: boa estrutura de acidez e taninos, assim como açúcar (vinhos doces) e álcool (vinhos fortificados).

Outro ponto a ser observado é que diferentes tipos de aromas (terciários) e sabores se formam com o passar dos anos. Assim, o frutado e o frescor tendem a dar lugar a notas mais complexas, por exemplo.

Agora que você já sabe as melhores práticas para guardar vinho e preservar suas peculiaridades, que tal degustar algum rótulo da nossa seleção de ofertas?

  

SIM, QUERO CONHECER AS OFERTAS DO CATÁLOGO