Tipos de taça de vinho

Tipos de taça de vinho: Veja como escolher a taça ideal para cada vinho

Quando o assunto principal for vinho, seja numa reunião de família ou num encontro de amigos, a forma de servi-lo e o tipo de taça de vinho a ser usada na degustação são gestos importantes para tornar a ocasião especial ainda mais agradável ao paladar.

Afinal, o formato ideal da taça pode revelar aromas e sabores do vinho que passariam despercebidos em outros formatos de copos. Mas diante de tantas opções e tipos diferentes de taças de vinho, qual o melhor recipiente usar para esses momentos especiais?

Essa é uma situação que pode gerar dúvidas para enófilos iniciantes e até mesmo para quem já está mais habituado com vinhos. Você verá que não há muitos segredos. Basta seguir algumas regras para aproveitar melhor essa combinação saborosa entre taça e vinho. 

 

Taça de vinho de cristal ou vidro? 

O primeiro cuidado a ser tomado diz respeito à escolha do material. A taça ideal para vinho pode ser fabricada com vidro, cristal de vidro ou cristal. As taças precisam ser transparentes, algumas vêm com bojo mais largo, outras com corpo menos largo. Todas devem ter haste comprida para você segurar a taça corretamente.

Para vinhos brancos e tintos é importante que o bojo seja largo para proporcionar mais espaço para a bebida respirar e liberar seus aromas, especialmente durante o prazeroso momento de girar a taça para experimentar o vinho pelo olfato. Isso acontece porque o cristal é mais poroso, o que ajuda a quebrar as moléculas da bebida durante o giro da taça nas paredes ásperas.

Recomenda-se que a taça seja de cristal mais fino possível para não incomodar os lábios e estimular a sensação da temperatura do vinho no paladar. Importante observar que o copo de cristal é fabricado com até 24% de chumbo em sua composição, enquanto que o cristal de vidro tem aproximadamente 10% de chumbo. Já o copo de vidro não tem esse elemento químico. O chumbo torna as taças mais porosas com espessuras mais finas, além de dar um toque de leveza, delicadeza e sonoridade.

Você leu chumbo e se assustou? Sim, de fato é um elemento tóxico que pode ser transferido do copo para o líquido com o passar do tempo. Mas a boa notícia é que para prejudicar a saúde é preciso que a taça fique em contato com o líquido durante muitas horas, fala-se em dias. Algo incomum numa degustação. Entretanto, se houver dúvida sobre o material de composição das taças de cristal para vinho, a recomendação é entrar em contato com a fabricante.

Outro material utilizado para taças de vinho é o cristal com titânio Ritzenhoff  que conquistou a preferência dos consumidores por oferecer resistência, elegância e durabilidade. As taças bordeaux de cristal com titânio Ritzenhof, por exemplo, são cristalinas e muito resistentes.

 

Diferenças entre taça de vinho tinto, branco e espumantes

 

O ideal é que a taça de vinho branco seja um modelo que conte com uma haste longa e bojo menor. Seu formato é indicado porque esses vinhos não necessitam de um grande contato com o oxigênio, e seu formato distribui o vinho de maneira uniforme pela boca. Recomenda-se que este tipo de vinho seja consumido em baixa temperatura, para que a taça possa destacar suas qualidades de maneira equilibrada.

Já as taças para vinho tinto têm o bojo um pouco mais largo em comparação às outras. E as taças para espumantes comumente apresentam o bojo mais alongado e fechadinho.

 

Taça para vinho tinto

Existem dois tipos de copos de tinto popularmente conhecidos como taça Bordeaux e taça Borgonha, nomeadas por duas famosas regiões produtoras de vinho da França.

A taça para o vinho Bordeaux tinto precisa ter um bojo largo e longo. Essa característica proporciona ao apreciador fazer com que a bebida passeie pela borda da taça até chegar à boca e ser degustado. O modelo facilita uma concentração maior de seus aromas.

Outro destaque é que o tinto precisa de mais espaço para respirar e exalar seus aromas e sabores marcantes. O formato de corpo mais largo também favorece o giro da bebida na taça para liberar ainda a potência dos seus aromas.

As taças Bordeaux são ideais, por exemplo, para vinhos mais encorpados (ricos em tanino), especialmente para rótulos da uva Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Syrah, Tannat, entre outras. A borda estreita direciona o vinho para a ponta da língua, assim é possível sentir os sabores frutados antes que os taninos sejam direcionados para a parte de trás da boca.

Já as taças Borgonha vêm com haste menor e bojo mais arredondado para potencializar a área de oxigenação e permitir que o vinho respire mais rápido. Os vinhos da Borgonha são conhecidos por serem mais complexos e concentrados, sobretudo os rótulos produzidos com Pinot Noir.

É por essa característica que as taças são produzidas com o chamado formato balão, que favorece a degustação dos aromas do vinho e direciona o fluxo da bebida acima da ponta e do centro da língua, para diminuir a acidez e acentuar as qualidades maduras do vinho. Também é ideal para vinhos Rioja tradicional, Barbera Barricato, Amarone, Nebbiolo, entre outros tintos.

Para vinho branco as taças têm corpo menor para ressaltar esses dois aspectos importantes. Vinho branco geralmente é consumido em temperaturas mais baixas, por isso a necessidade de copos menores para reduzir as trocas de calor com o ambiente. A outra explicação é que o vinho branco requer que sejam destacadas as notas de frutas. Já a boca estreita da taça para vinho branco facilita a entrada da bebida através das áreas da língua com equilíbrio entre doçura e acidez. 

Vinhos rosados são conhecidos por combinarem os taninos dos tintos com os aromas dos brancos. Justamente por isso, a taça pode ser menor que a dos brancos, mas com corpo maior. Ela acentua a acidez do vinho, equilibrando sua doçura ao mesmo tempo. Se uma taça específica para rosés não estiver disponível, as utilizadas para vinhos brancos podem ser usadas como substitutas.

As melhores taças para vinhos doces e fortificados são as que possuem bojo pequeno, pois o padrão de consumo desse tipo de vinho costuma ser em quantidades menores.

Taças para espumantes, frisantes e champagnes são conhecidas pelo formato de flauta (flûte). Têm bojo mais alongado e fechadinho, algumas são acentuadamente alongadas. Esse formato realça a perlage (as famosas bolhas dos espumantes). Isso significa um caminho mais longo para as bolinhas percorrerem o copo e liberar a efervescência e aromas ao nariz.

 

Vale a pena ter uma taça para cada tipo de vinho? 

Se você ouvir uma música favorita com um fone de ouvidos já antigo, e na sequência repetir a mesma música, só que desta vez apreciá-la com um headphone novinho, possivelmente vai sentir sonoridades e notas mais limpas, sem ruídos. E, consequentemente, vai experimentar uma outra sensação sobre a música.

É possível que essa experiência se repita também quando você degustar seu vinho preferido com a taça ideal. A indústria global do vinho aposta tanto nessa vertente que marcas consagradas como a austríaca Riedel comercializa mais de 400 tipos de taças para vinhos, com o objetivo de oferecer um copo para cada tipo de uva ou região.

Mas não se preocupe com isso se não tiver espaço suficiente nas prateleiras. Existe uma coringa chamada taça ISO (International Standards Organization).  Foi criada em 1970 para servir todos os tipos de vinho. Ela é conhecida entre os especialistas e muito utilizada para degustações técnicas. A taça ISO é relativamente pequena, cristalina, tem o bojo maior, é fechada na parte superior. Ideal para girar o vinho na taça, realçar a parte aromática e aguçar o paladar dos críticos.

Além da escolha certa da taça de vinho para uma ocasião especial é igualmente importante observar outros cuidados para a degustação. Ao derramar o vinho na taça, deve-se preencher até um terço do recipiente, jamais até a boca – lembra que os vinhos precisam de oxigênio para liberar os aromas? Exceto para espumantes, cujas taças podem conter até dois terços de medida.

Sempre ofereça vinhos brancos antes dos tintos, secos antes dos doces, para não comprometer o paladar, e os mais jovens antes do mais velhos (vinhos de guarda). E deixe o melhor rótulo no final para surpreender seus convidados! 

E aí, qual a taça que você mais se identificou? Deixe um comentário aqui e compartilhe essas dicas práticas de taças para vinhos nas redes sociais!