Menu
< Menu Acesse / Crie sua conta
Busca

Compre também pelo telefone (11) 5042-0077

De segunda à sexta-feira das 9h as 19h
E aos Sábados das 10h as 15h

Toro

Localizado em Castilla y León no noroeste da Espanha, a DO de Toro está situada às margens do rio Duero, assim como sua vizinha, a DO Ribera del Duero.

A história da vinicultura dessa região, onde os tintos predominam, teve início séculos antes de Cristo pelos romanos que estabeleceram seus primeiros vinhedos após invadirem o território espanhol.

Na era dos descobrimentos, os vinhos de Toro tiveram uma participação importante.Potentes, concentrados, estruturados e alcoólicos, eram apropriados para as longas travessias marítimas abastecendo os desbravadores que procuravam novas terras. Isso garantiu o estereótipo de rústicos aos vinhos durante muitos anos.

Assim como outras denominações espanholas, no século XIX, durante a crise da filoxera, Toro ajudou a abastecer o mercado de vinhos na França, já que seus vinhedos resistiram bem à praga devido ao caráter do solo da região.

Mas em 1987, os vinhos de qualidade de Toro ganharam status de denominação de origem, o que fez com que uma nova era e reputação começassem a ser construídas.

Para adequar os seus vinhos ao mercado, foram feitos novos investimentos no setor, como novas técnicas de cultivo e melhor tratamento de seus vinhedos, transformando os vinhos da região sem, no entanto, subtrair-lhes a essência.

Com clima continental de influência atlântica e amplitude térmica significativa, com verões longos, secos e quentes seguidos de invernos rigorosos, seus vinhedos centenários (tidos como dos mais antigos da Europa) estão localizados a uma altitude entre 600 e 800 metros acima do nível do mar. Seu solo bem drenado é formado por uma mistura de argila, areia e calcário.

A principal uva cultivada na região é a Tinta de Toro (variação da Tempranillo) e todos os vinhos, do Jovem ao Gran Reserva, devem ser elaborados com pelo menos 75% dela. A Garnacha é outra variedade utilizada para elaborar os apreciados vinhos tintos da região. As brancas têm produção pouco significativa, sendo a Malvasia e a Verdejoas castas principais.

Uma nova geração de enólogos e produtores foram responsáveis pela atualização dos vinhos de Toro, que antes eram tidos como brutos e rústicos e, atualmente, alcançaram o prestígio dos apreciadores e críticos. A qualidade dos vinhos evoluiu, assim como, sua reputação e reconhecimento. Hoje, os vinhos da região mostram todo seu potencial sem perder, contudo, sua tipicidade.

8 Produto(s)

Direção Descendente
por página

Tabela  Lista 

8 Produto(s)

Direção Descendente
por página

Tabela  Lista