notas de degustação de vinho

Notas de degustação de vinho é a coisa mais útil que você deve ver antes de comprar um vinho.

Nos últimos 10 anos, notas de degustação têm mudado o foco para avaliações do consumidor para elas serem menos tendenciosas.

Muitas pessoas gostam de escrever notas, mesmo que seja por hobby. É uma possibilidade de aguçar o paladar e conhecer mais sobre o mundo dos vinhos.

Vamos dar uma olhada em como escrever ótimas notas de degustação de vinho?

Acompanhe!

Identificando Sabores de Vinhos e Como Listá-los

Aromas de vinhos entram em três categorias gerais:

  • Aromas Primários: aromas oriundos do tipo de uva e das características da região. Geralmente são focados em aromas de frutas, de ervas e florais.
  • Aromas Secundários: esses vêm do processo de produção do vinho. Aromas secundários incluem (mas não são limitados) a notas como pão fresco e lager (do fermento), assim como sour cream e iogurte (da fermentação maloláctica).
  • Aromas Terciários: esses são aromas do envelhecimento no barril de carvalho ou na garrafa. Aromas terciários incluem cravo-da-índia, baunilha, especiarias, nozes torradas, aneto, coco, e fumaça, assim como uma mudança do caráter da fruta de fresca para seca.

Conhecer a origem dos diferentes aromas de vinho te ajudará a escrever melhores notas de degustação.

Uma dica: quando você estiver anotando os sabores, tente listar os mais óbvios primeiros. Isso te ajudará a criar uma hierarquia de importância.

O que você mencionar primeiro importa. Por exemplo, “laranja e pimenta” soam mais orientadas a frutas do que “pimenta e laranja”.

Também tente a incluir adjetivos nas suas anotações. É pimenta fresca ou pimenta seca? É geleia de framboesa ou framboesa verde? Essas especificações irão te ajudar a focar nos detalhes do vinho.

Não tenha medo de escrever algo que soa um pouco bobo!

Como Descrever Tanino, Acidez e Corpo

  • Corpo: quando você foca no gosto, estará pensando sobre como o vinho se assenta na sua boca. O corpo é, talvez, a nota mais óbvia e é muito importante, pois te ajuda a construir o perfil do vinho que você está degustando na sua mente. Parece como leve, pouco encorpado, encorpado ou muito encorpado? O corpo do vinho corresponde mais ou menos com essas texturas. Qual é a textura geral? Anote tudo!
  • Tanino: esse pode parecer mais difícil, mas é mais fácil se você focar na textura. O tanino faz com que seus lábios grudem nos seus dentes? Ele enche sua boca com uma sensação delicada de formigamento? Tanino sempre terá intensidade, mas ele pode se manifestar como áspero ou aveludado.
  • Acidez: é o quanto o vinho é azedo. Por exemplo, um vinho com alta acidez terá uma acidez parecida com a de um limão, ao mesmo tempo em que um vinho com baixa acidez lembrará a acidez de uma melancia.

É Tudo Sobre o Final

Já percebeu que quando você experimenta um vinho você consegue determinar se gostou ou não logo de cara?

Leva um momento para você ter a impressão total do vinho. Você está esperando para o final – aquele momento após o sabor dissipar.

O final é frequentemente o momento definidor. Ele pode ser a diferença entre comum e espetacular.

Aqui está uma lista básica dos diferentes tipos de finais de vinho. Pode ser muito útil para identificar o que você gosta de um vinho.

  • O Final Macio: esse é o momento clássico de “aaah” para a maioria dos apreciadores de vinho. Mesmo que o vinho possa ser completamente seco, o final pode ter uma nota de maciez e elegância. Para vinhos tintos, os taninos são gentis em vez de fortes, mas ainda presentes. Para vinhos brancos, geralmente será uma textura ampla e cremosa.
  • O Final Azedo com Sensação de Formigamento: esse vinho terá um gosto mais azedo ou amargo no final. Ele pode ter algumas notas verdes, mas num vinho de boa qualidade, a acidez persistirá e formigará, dando um final longo delicado, com a sensação de “água na boca”. A natureza refrescante do azedo ou do amargo te faz querer mais um gole. Esse estilo tem uma popularidade dividida, tem aqueles que amam e outros que odeiam.
  • O Final Suculento e Fresco: os termos enológicos “suculento” e “fresco” geralmente indicam um vinho que tem muitos sabores de frutas maduras no final, e é mais comumente encontrado em vinhos jovens de climas moderados. Essas notas suculentas são geralmente associadas a vinhos “frescos” (em outras palavras, recentemente produzidos, que foi como surgir o termo).

Agora você está preparado para escrever ótimas notas de degustação de vinho, não é mesmo?

Siga as nossas dicas e procure treinar sempre! Ao experimentar um novo vinho, crie uma nova de degustação para ele. Se houverem mais pessoas com você, incentive todos a criarem notas e comparem depois.

Você já escreve notas de degustação de vinho? Conte mais sobre as suas experiências nos comentários!